• Atendimento ao Cliente (15) 3227 2728
  • comercial@mecanicawilson.com.br
23
jul

Todo automóvel precisa basicamente de duas coisas: combustível para rodar e água no reservatório para evitar o superaquecimento do motor. Neste artigo vamos falar basicamente do funcionamento e da importância do sistema de arrefecimento do motor para que o seu veículo rode perfeitamente.

Quantas vezes você já avistou carros parados nas estradas, com o motor aquecido por falta de serviços de manutenção?

Para não ter o mesmo problema é fundamental tomar alguns cuidados, como checar o nível da água do reservatório pelo menos uma vez por semana, usar um bom aditivo e fazer revisões periódicas na oficina mecânica.

Mas para entendermos melhor porque o sistema de arrefecimento do motor é tão importante para a saúde do motor do seu automóvel, vamos detalhar o que é, as peças fundamentais e como funciona essa engenhoca.

O que é o sistema de arrefecimento do motor?

Também conhecido como sistema de refrigeração, o sistema de arrefecimento do motor é um conjunto de equipamentos que tem a função de controlar a temperatura do motor movido à explosão de combustível.

Portanto ele é responsável por fazer o motor manter uma temperatura segura para, desse modo, evitar o superaquecimento e a dilatação das peças e, consequentemente, o desgaste precoce.

Só por curiosidade, a temperatura média do motor varia de carro para carro, mas costuma se manter na casa dos 90 a 110 graus Celsius. Por isso o controle da temperatura ajuda a evitar gastos excessivos de combustível e a emissão de poluentes.

Do que é composto?

Basicamente, o sistema de arrefecimento do motor é composto por:

  • Tubo e conexões
  • Mangueiras
  • Radiador
  • Bomba d’água
  • Reservatório
  • Válvula termostática
  • Aditivo
  • Eletroventilador (ventoinha)
  • Sensor de temperatura

A tecnologia usada no sistema de arrefecimento do motor mudou com os anos. Na década de 80, por exemplo, o sistema era aberto, e a água tinha que ser reposta constantemente diretamente no radiador. Hoje, os carros têm o sistema de fluxo fechado e pressurizado.

Cada componente desse conjunto de refrigeração do motor tem uma função. A bomba d’água faz a água circular no sistema. Já a válvula termostática visa regular a temperatura do líquido.

Desse modo, o reservatório, como o próprio nome diz, guarda toda a água do sistema. Por isso é crucial verificar, pelo menos uma vez por semana, o nível de água. Enquanto isso, o aditivo faz com que o líquido não esquente nem congele, além de evitar a oxidação das peças. Seu uso é obrigatório.

Uma peça importantíssima do sistema de arrefecimento do motor é o radiador. Ele é “coração” desse sistema, permitindo a troca de água quente que vem do motor pelo ar frio que vem do ambiente. Sua manutenção deve ser feita em oficina automecânica a cada seis ou oito meses.

Já a informação do nível da temperatura é feita pelo sensor ou “cebolinha” da temperatura. O dado é levado até o módulo de comando. E, por último, a ventoinha, que provoca aquele barulho característico quando ela é ligada. A peça é responsável por ventilar o radiador.

À medida que você fizer a manutenção periódica, os problemas vão sumindo. Por isso é bom ficar atento no possível ressecamento ou vazamento nas mangueiras, furos ou trincas no radiador, abraçadeiras e conexões.

Em resumo, o bom funcionamento do sistema de arrefecimento do motor aumenta a vida útil das peças e evita o superaquecimento que pode fundir o motor. Por isso, nosso conselho é que você possa agendar revisão do automóvel.

Gostou deste artigo? Então deixe seu número de WhatsApp clicando no formulário abaixo para receber uma novidade.



Tags: , , , ,